Game Office Network - Gonbrasil
Análises

Jogamos: Dragon’s Dogma: Dark Arisen – PC/Steam

Dragon’s Dogma: Dark Arisen foi lançado originalmente 3 anos atrás para os consoles, mas é um daqueles jogos que segue sendo atual e poderia servir de referência para muitos RPGs. A customização dos personagens tem uma variedade enorme de estilos, faces e penteados, detalhe divertido para quem adora criar personagens em seus jogos, bastante possibilidade na composição da sua build, tanto em itens, magias e classes híbridas.

Esses pequenos detalhes fazem DDDA ser um jogo único nesse aspecto, mas se caso você ainda não jogou vai notar que ele tem uma pegada difícil e complexa em alguns momentos, como alguns combates que levam mais de um dia, esta é apenas uma  comparação para quem nunca jogou DDDA nas versões consoles e precisa de um norte para se guiar.

A história principal gira em torno do Dragão que finalmente retorna ao mundo, e escolhe uma pessoa de valor e seu coração é arrancado e devorado. Ao término deste ritual e de sua sobrevivência milagrosa você renasce como o “Arisen”, o escolhido, onde suas escolhas irão definir este mundo. E é nessa conexão entre você e o Dragão que a narrativa principal surge.

Dragon’s Dogma: Dark Arisen, vai satisfazer fãs de RPG hardcore, que gostam de estratégias complexas, combates longos e inimigos gigantes. Além da presença de várias criaturas mitológicas e clássicas nos universos de fantasia como Ciclopes, Grifos, Quimeras, Harpias, Goblins e tantos outros.  Um prato cheio para quem gosta de jogos como Dark Souls e até mesmo Skyrim, e atrevo-me a dizer que até quem é mais old school, vai gastar um tempinho no jogo.

Mas o que realmente faz diferença no jogo é o sistema de Pawns, onde você cria um “ajudante” que faz parte da sua party, o diferencial é que seu Pawn é uma espécie de Pokémon mercenário que você pode trocar com seus amigos ou pegar emprestado na própria rede do jogo, inclusive pode procurar por personagens com as habilidades, conhecimentos e níveis que você precisa para enfrentar cada quest.

Como RPG, DDDA consegue cumprir seu papel que é prender o jogador, com  muitas quests, detalhes escondidos, variedade de habilidades, magias, armaduras, itens e mecânicas.  Além de um vasto mundo aberto a ser explorado, inclusive com localidades novas no PC, Dragon’s Dogma:  Dark Arisen traz uma enorme possibilidade e variedade de desfechos para o End Game.

Outra coisa que é interessante no jogo é que conforme seu nível vai subindo, assim como seu Pawn, você de fato sente que o seu personagem está se tornando mais forte. O jogo não fica mais fácil, porém a variedade de táticas e estratégias de combate ficam mais versáteis abrindo um leque maior de opções, o que agradará muito os fãs de RPG.

Dragon’s Dogma: Dark Arisen é um port remasterizado para PC, com polimentos visuais, sonoros e inclusão de novas localidades e quests. O jogo tem suporte de até 4k de resolução, shaders, filtros e texturas melhoradas. Seria esse o port que queríamos?

Custando 75 reais DDDA chegou ao Steam com alguns bônus de pré-venda, mas pera, 75 reais em remaster de 2013? Como assim?

Antes de tudo, vale ressaltar que a parte técnica de DDDA está quase beirando a perfeição no PC. A primeira impressão que tive quando coloquei as mãos no jogo é que muitas empresas deveriam ter o mesmo cuidado que a equipe da Capcom responsável pelo port teve, como:

-Suporte à resolução 4k e texturas/sombras/partículas mais detalhadas para computadores High-End.

-Inclusão de Quests e localidades novas.

-Preço justo.

-Ajuste de sincronia labial, embora muito longe da perfeição, mas superior a versão original.

-Corte de muitas falas dos Pawns, mas não o suficiente. E você pode mutá-los.

Apesar da qualidade evidente no port e a superioridade da versão para o PC o jogo ainda tem uns pequenos defeitos, porém estes pequenos detalhes ainda são resquícios da sua primeira versão, como:

-O jogo não tem Fast Travel, então pense bem antes de usar suas pedras de viagem que não são tão fáceis de achar.

– Pawns ainda tem pequenos problemas na sua Inteligência Artificial. Senti uma evolução mínima  desde a versão de Playstation 3.

– Apenas 1 slot para personagem, inclusive já foi respondida no fórum do jogo pelo próprio Gerente da Comunidade no Steam que é por causa da sincronização com o sistema de Pawn.

Finalizando, Dragon’s Dogma:  Dark Arisen é um jogo que merece um destaque na sua biblioteca Steam, apesar de ser um jogo de 3 anos atrás, mesmo se você já jogou vale a pena conferir a versão para o  PC. Vale cada centavo, com ou sem promoção.

Veja Screens do Jogo em 4k –  acesse aqui a galeria

 

 

 

 

 

Rafael "Scarface" Luerce

PC Gamer desde a adolescência, vindo de uma geração onde quem jogava Diablo e Planescape: Torment era feliz.

Comentários