Game Office Network - Gonbrasil
Análises

Jogamos: Dark Souls III (Sem Spoilers)



Confira nossa analise de Dark Souls

Confira nossa analise de Dark Souls II

Confira nossas dicas de Dark Souls III

darksoulsiigonbrasil

Dark Souls III é um RPG de ação intensa que carrega no nome uma franquia de peso. Após as controvérsias rolando o último jogo da série, Dark Souls III não decepciona nenhum fã, seja por sua jogabilidade, sistema e principalmente sua história, que cria um elo entre os dois primeiros jogos e responde várias respostas deixadas em branco pelos seus antecessores.

IMPORTANTE: Essa analise não vai conter spoilers, assim como também não vai cobrir o modo online do jogo, como co-op e PvP. O jogo foi jogado na Steam, onde os servidores não estão ainda abertos. Todas as imagens foram tiradas por mim no PC, com qualidades variando do Alto e Ultra.

 

  • ENREDO E PERSONAGENS

Dark Souls III se passa eras depois dos outros dois jogos. Assim, como o segundo para o primeiro, o tempo exato não é determinado, mas está implícito no jogo que faz muito tempo.

Você é um ”ser de cinzas”, assim chamado por todos, que despertou, assim como outros, em busca dos despertos Senhores das Cinzas, grandes lordes que em outras eras também mantiveram a chama acesa, mas que agora abandonaram seus tronos e cabe á você buscar-los.

De todos os jogos da saga, Dark Souls III tem a história mais direta a se percorrer, e no caminho seus obstáculos separados. Você vai encontrar muitos amigos antigos pela estrada, assim como inimigos antigos. Lugares também de jogos passados vão estar neste jogo, então, se você é um fã árduo da série, Dark Souls III surpreende por ser um jogo que é aplaudido por continuar sendo o mesmo sempre.

Missões secundárias estão de volta, e de monte. Acompanhar todas elas em uma mesma campanha parece (se não, de fato é) impossível. Mas não trate isso com desdem, já que fortalece a motivação para se jogar novamente, afinal, vários estilos de jogos podem também serem explorados e existem três finais alternativos para o jogo.

Outro ponto forte, são os personagens do jogo. Apesar de ser complicado manter contato por muito tempo com vários, cada um tem uma personalidade bem peculiar, e nesse ponto, diria que Dark Souls III é melhor do que Dark Souls II, mas ainda fica atrás (bem pouquinho) de Dark Souls I. Cada um vai ter suas próprias missões, diálogos e também são afetados pelo seu desenvolvimento pela história.

 

gonbrasildarksouls3

 

  • JOGABILIDADE

Se Dark Souls se tornou o jogo que é conhecido hoje, se da ao fato da sua dificuldade e complexidade de itens e sistemas de combate. Dark Souls III modificou um pouco disso, trazendo mais agilidade e algumas praticidades, mas não peca em produzir um Souls game fiel e de dificuldade elevada.

Muito foi dito de Dark Souls III pegar a jogabilidade de Bloodborne emprestada, e isso não está bem certo… mas também não tão errado. Bloodborne é um jogo bem mais agressivo, mas Dark Souls III também é mais agressivo do que os outros jogos, e definitivamente, muito mais do que Dark Souls II foi, trazendo um combate ágil em qualquer forma de jogo, seja usando armas corpo-a-corpo, feitiços, milagres, piromancias, itens de tacar a longa distância e arco e flechas.

Para saber mais das mudanças, como a barra de mana nova, clique aqui.

Não que isso seja uma mudança drástica: você ainda se move mais lento com peso de equipamentos, a maioria dos itens do jogo são os mesmos (incluindo anéis, que também trouxeram algumas adições, uns que também imitam alguns comportamento de itens de Bloodborne) e principalmente: Inimigos estão bem mais ágeis e agressivos.

O comportamento de inimigos mais agressivos deixou com sentido o jogo ser mais agressivo em si, mas também trouxe alguns problemas. O uso de armas pesadas (como as famosas, e amadas, greatswords) se torna um pouco complicadas quanto a lutas com mobs, já que você precisa sempre de energia pros golpes e desviar, e precisa fazer isso rápido. Se você não matar o inimigo a tempo, ele pode começar a te atacar no tempo de um golpe de espada grande para o outro, e talvez você não consiga escapar. Isso foi algo que notei e não gostei muito, já que sempre usei greatswords, e dessa vez, mesmo como cavaleiro tive que terminar o jogo com uma espada menor, de menos dano, mas mais ágil.

A câmera voltou a ser um problema as vezes (ainda longe de ser o que era no primeiro Dark Souls), seja em chefes ou inimigos do mapa. Optar por não marcar inimigos por conveniência e sim por que o jogo te complica, não por planejamento e sim desleixo, é um pouco irritante.

 

gonbrasilds3

 

  • CHEFES

De tanto peso quanto a jogabilidade do jogo em si, os chefes de Dark Souls sempre foram um ”quê” a mais, variando vários tipos de inimigos diferentes para serem tratados de forma diferente, e Dark Souls III se aproveitou disso bem, até um certo ponto.

Não me entendam errado, Dark Souls III tem chefes com não só dificuldades legais, formas diferentes de se combater, como visuais incríveis e lutas em cenários lindos.

Adotaram também, em TODOS os casos, vários ”níveis” de chefe. Sendo assim, ao tirar certa quantidade de HP de um chefe, ele começa a agir diferente, com ataques diferentes, e na maioria dos casos, mais agressivo. Alguns até tem duas vidas, só pra te dar o ”gostinho” de vitória seguido de outro vídeo apresentando sua segunda forma (algo como foi com Ornstein e Smough no primeiro Dark Souls). Batalhas bem arranjadas fazem parte do jogo também, lembrando a luta contra DarkLurker do Dark Souls II.

Mas, não é só de chefes bem programados que o jogo é feito. Infelizmente, chefes que você já conhece desde os primeiros vídeos, e espera algo, são ridiculamente fáceis de se derrotas, precisando mais de entendimento do que fazer (o que também não deixaram difícil) do que a hora de fazer. São apenas três chefes assim, um até que não facilita as coisas tanto, já outros, talvez seja possível derrotar na primeira vez sem nenhum estresse, principalmente um opcional que você pode derrotar com apenas um golpe (é, só um) após percorrer um cenário, que apesar de repleto de inimigos, é fácil de se passar correndo sem dar um golpe se quer.

Longe de ser um problema grave, ainda. Dark Souls III não tem uma quantidade tão inferior de chefes como era imaginado.

gonbrasil

 

  • QUE O FOGO GUIE O SEU CAMINHO…

Dark Souls III é o jogo perfeito para fãs árduos da série, trazendo um combate nostálgico e melhorado, quase na maioria dos pontos, e também histórias se completando de antigos jogos. Além de personagens e cenários nostálgicos, Dark Souls III é um reflexo melhor do que Dark Souls I foi, mas sem ignorar os acontecimentos, inimigos e personagens de Dark Souls II.

Mapas deslumbrantes e muito bem planejados, superando até as conexões de mapas de Dark Souls I vão deixar muitos jogadores de queixos caído. A exploração por eles é fantástica, e sempre será compensada ao descobrir itens, inimigos e segredos por aí.

Pequenos são os problemas do jogo, como queda de quadros por segundo em certas áreas e em certas plataformas de jogo, problemas que devem ser corrigidos e não serão constados aqui.

Os gráficos não são os melhores dessa época, mas isso nunca foi o forte de Dark Souls.

Os boatos era de que Dark Souls III seria menor do que os outros, e eu levei 42 horas paa fechar o mesmo, fazendo todos os mapas e chefes. É menor do que Dark Souls II, mas ainda é um jogo bem grande e que pode ser abordado de várias formas diferentes, várias vezes.

Dark Souls III é um jogo obrigatório de 2016 e definitivamente o jogo mais gratificante para seus fãs. From Software mostrou que consegue criar jogos de qualidade usando a mesma fórmula várias vezes seguidas, e até mesmo, em pouco tempo de uma para outra.

Confira nossos guias para Dark Souls III

Rian ''BlackDog''Duarte

Estudante de física, jogador casual e escritor com dislexia.

Comentários