Game Office Network - Gonbrasil
Artigos

Os 6 jogos com maior potencial desperdiçado dos últimos anos

Com o resultado bom ou não, nem sempre um jogo consegue tirar tudo que seria capaz. Isso pode acontecer tanto com falta de planejamento, quanto com a falta de criatividade. Hoje aqui listaremos 5 jogos que poderiam ter sido muito mais do que realmente foram, e mesmo que tenham chego a agradar seus jogadores, deixaram também a desejar de pessoas mais exigentes.

 

FALLOUT 4

Começando com calma, temos um jogo que de longe não foi ruim. Vindo deu m estúdio que anda cansado de ganhar títulos com premiações de Jogo do Ano, a Bethesda continuou a saga amada por seus fãs desde a adaptação da série em Fallout 3, mas de todos os 3 jogos em seu nome, Fallout 4 foi o que divergiu maior número de opiniões entre os jogadores e fãs antigos da série.

Não, Fallout 4 não é ruim, mas depois de 7 anos desde o último Fallout (Fallout: New Vegas não conta tanto por ter usado a mesma engine do 3 e ter sido desenvolvido pela Obsidian) era de se esperar mais do jogo. Além de terem removido os elementos de RPG que faziam os fãs gostarem tanto de Fallout e terem reduzido isso a quase nada, o jogo não inovou no que deveria: uma engine melhor, novas mecânicas, expansões bem pensadas e etc.

Fallout 4 não é um jogo ruim, mas definitivamente, é o pior entre os três jogos por trás do nome da Bethesda (falando como um fã e como alguém que leu o metascore de todos os jogos). Era de se esperar mais, bem mais, da continuação de um jogo que veio depois do TESV: Skyrim, Mas a Bethesda parece que aprendeu e vai levar mais um tempo para lançar outro jogo, talvez isso seja uma garantia de total qualidade.

 

TREE OF SAVIOR

Colocando um MMORPG na lista temos Tree of Savior, um jogo dos mesmos criadores de Ragnarok Online, sucesso da IMC Games no começo dos anos 2000. Fomos bastantes responsáveis pelo hype criado no jogo no começo de 2016, mas entenda o por que Tree of Savior teve tanto potencial desperdiçado.

Desde inicio, apesar do visual retro e nostálgico para quem jogava Ragnarok Online, Tree Of Savior queria ser independente e ter seu próprio estilo sem precisar depender do sucesso de Ragnarok ou de qualquer outro jogo lançado na época de ouro dos MMORPGS em 2D. Mas a tentativa de independência de estilo de Tree of Savior só levou ele a se tornar um jogo como qualquer outro MMORPG: Ao chegar em certo nível, você vai viver de grinding, repetindo e deixando sua experiência muito tediosa conforme novos mapas e grandes desafios não vão aparecendo para jogadores nos níveis mais altos possíveis.

O jogo enfrentou vários problemas de administração da IMC no seu lançamento também, que iam de bugs com compra de itens com cash até problemas que duravam dias em servidores, o que acabou fazendo com que Tree of Savior perdesse uma quantidade gigantesca de jogadores. Se o jogo poderia atualizar e melhorar com o tempo, agora fica difícil recuperar a player base que começou em um ótimo número e foi cada dia despencando mais.

Rian ''BlackDog''Duarte

Estudante de física, jogador casual e escritor com dislexia.

Comentários