Game Office Network - Gonbrasil
Análises Notícias Reviews

Jogamos: A Hat in Time

A Hat in Time é um jogo de plataforma 3D onde você controla uma garotinha alienígena que tenta recuperar suas Time Pieces (que você coleta através do jogo) nos vários mundos onde eles foram espalhados. Inspirado em vários outros jogos que marcaram o gênero, A Hat in Time é um ótimo jogo para qualquer jogador saudosista dos tempos de Nintendo 64 / Playstation 1.

A história de A Hat in Time é bastante simples: você é uma garotinha em sua nave viajando pelo espaço, até que uns mafiosos abrem um buraco na sua nave deixando tudo o que você tinha de valioso sair voando pelo espaço e caindo nos planetas próximos. Desnecessário comentar que é um jogo bastante ”infantil” (não entenda isso como um comentário negativo de forma alguma), o jogo trabalha bastante com sua simplicidade e liberdade de explorar tudo ao seu redor com isso. Você vai encontrar variedade de mundos, de todas as cores e formas, isso tudo se fundiu muito bem com o gameplay do jogo (que vamos falar em seguida).

Apesar de simples e infantil, você pode esperar em alguns lugares um pouquinho mais de lore e coisas mais pesadas, algo bem parecido com jogos que inspiraram A Hat in Time, como Psychonauts (quem não se lembra dos pesadelos da Milla Vodello?). Além disso o jogo consegue te cativar com toda a fofura da Hat Kid, assim como te faz emocionar bastante no final.

Apesar da protagonista muda e apenas três antagonistas, os personagens do jogo são muito cativantes e memoráveis, assim como também deixam o jogo bem mais divertido e fácil de amar.

Quanto ao que é mais importante para esse tipo de jogo, vamos falar do ótimo trabalho da Gears for Breakfast no gameplay. É difícil descrever o sentimento que é jogar A Hat in Time, então vamos por etapas falando como ele funciona:

  • Você pode explorar os mundos a vontade na maioria das fases por cada mundo. Você tem sua missão principal, mas normalmente você pode sair por ai coletando o que quiser, o que é ótimo. Com o tempo pode parecer que você está se enjoando do mapa e que aquilo é tudo, mas o tamanho de cada capitulo (mundo) é o equilíbrio perfeito entre curto demais x repetitivo.
  • Você tem vários poderes diferentes e consegue esses poderes com chapéus diferentes que você vai desbloqueando através do jogo, assim como insígnias para te deixarem ainda mais poderoso e com habilidades variadas. A quantidade de chapéus no jogo é até pouca (se não me engano são 6), se você for considerar que o jogo tem ”hat” no nome, mas isso não é um problema quando você tem a Oficina da Steam cheia de mods para você poder usar o que quiser. Mas isso é apenas uma opção para quem joga no PC.

Mas é importante notar a minha opinião pessoal de que o jogo é simplesmente muito divertido só de andar. É difícil explicar, novamente, mas foram incontáveis as vezes em que eu só abri o jogo e fiquei andando sem rumo por que só a movimentação, pular, girar, saltar de lugares imensos, ser jogado no céu por canhões, é muito, muito divertido e satisfatório. A última vez que eu me diverti tanto com apenas andar e sair pulando pelo jogo deve ter sido com algum Crash Bandicoot no Playstation 1. Tudo o que jogos novos que tentaram reviver a nostalgia da época, como Yooka-Laylee. e falharam, A Hat in Time fez certo.

A Hat in Time consegue ser eclético com modos de jogo onde você precisa ganhar uma corrida, outras fases onde você precisa ”sobreviver” por um certo período de tempo, fases com quebra-cabeças, fases com foco em história que são simplesmente hilários, batalhas de chefes longas e mesmo assim consegue dar muita liberdade para o jogador fazer as coisas do jeito que ele quiser, com os itens que estão disponíveis para ele.

A Hat in Time é um ótimo jogo que vai trazer de volta a criança em você e reviver todos aqueles momentos que você teve jogando Spyro, Crash e Mario Sunshine. Com ótimos tons e variedades é impossível não apreciar o esforço da equipe que trabalhou anos no jogo, que resultou como um dos melhores lançamentos de 2017 que infelizmente foi ofuscado por outros jogos que ficaram mais mainstream. Apesar do público não ser do tamanho que o jogo merece, o jogo merece os 98% de aprovação do público em análises de usuários pela Steam.

 

The Review

96% Get lost!

PROS:

  • Nostalgico
  • Bem variado
  • Ótimos controles
  • História simples e ao mesmo tempo encantadora
  • Boa trilha sonora
  • Variedade de mods da comunidade

CONS

  • Se você se esforçar muito, talvez você ache um bug
50%
Rian ''BlackDog''Duarte

Estudante de física, jogador casual e escritor com dislexia.

Comentários